Top
  >  Exercício Físico   >  O Yoga em minha vida

Toda mudança requer um tempo, ninguém acorda um dia e pensa: “Vou começar a correr, meditar, dançar, praticar yoga ou qualquer coisa do gênero.”  Toda decisão é um processo que começou lá atrás e ganha força até ser concretizado.

Na natureza, algumas  sementes passam por um evento chamado dormência onde recebem um tipo de proteção especial e só germinam quando as condições naturais são favoráveis. Acredito que o mesmo acontece em nossa vida, durante o caminhar diversas sementes são plantadas, e mesmo com solo fértil algumas demoram anos para germinar, até que ouvimos mais uma vez sobre o assunto despertando o interesse e, de repente, estamos completamente envolvidos e apaixonados. 

E foi assim que o yoga surgiu em minha vida, de mansinho, durante uma crise de ansiedade com síndrome de pânico, um médico me indicou meditação e atividade física. Nunca fui muito de academia, mas aceitei a dica do doutor e busquei um local com aulas de dança.

Me matriculei em uma academia que tinha de tudo, inclusive yoga, até que um certo dia por curiosidade entrei na aula de yoga, a professora toda zen recebia aos alunos e pedia para sentar em silêncio, minha mente e um turbilhão de informações perguntava “o que estou fazendo aqui?”  Lutei contra ela e fiquei até o final, mas não voltei na aula seguinte.

Depois de algumas semanas resolvi dar mais uma chance e para minha surpresa já não era mais a mesma professora, dessa vez um professor, uma prática com muitos processos respiratórios onde ficava parada na postura respirando forte, fraco, alternando. Achei muito estranho e, mais uma vez não retornei na aula seguinte. Mesmo assim, algo já estava plantado em meu ser e dizia para dar mais uma chance, e lá fui eu a sala de yoga…

Cheguei para aula e tinha uma nova professora, dessa vez calma, atenciosa e ansiosa por ser a primeira aula dela ali. A aula começou calma, acelerou no caminho e acalmou de novo, sua voz conduzia a prática de forma tão doce que me apaixonei pela aula. Aos poucos troquei o treino na musculação pelas práticas de yoga e durante quase dois anos frequentei a academia apenas para ter aulas com ela, ufa, dessa vez não houve alteração de professor.

Durante esse período aprendi muitas coisas e passei a observar e entender meu próprio corpo. Percebi o alongamento, a flexibilidade e a evolução na mobilidade do corpo ao executar cada uma das posturas ficando feliz quando alcançava o objetivo final do Asana sem tanto esforço. Aprendi a observar minha respiração reconhecendo os sentimentos e as sensações e como isso influencia o respirar. Aos poucos passei a usar a respiração em benefício próprio que me ajuda a diminuir a ansiedade. As crises de ansiedade desapareceram? Não!! E esse também nem é o objetivo do yoga. 

E qual o objetivo do yoga? É proporcionar bem-estar físico e emocional, e foi exatamente o que conquistei.

E você, como começou essa jornada? O que tem aprendido com ela?

Amante da natureza, bióloga, educadora e professora de yoga. Trago a prática de Hatha Vinyasa onde o movimento do corpo é conduzido pela respiração consciente e passamos a ser observador do nosso próprio corpo, é o momento em que desligamos o piloto automático, desconectamos da vida lá fora, e observamos a nós mesmos com amor e cuidado. 💓

Comentários:

  • Daniel Carnielli
    28 de novembro de 2020

    Que lindo relato. Tudo que é natural, é divino. A gente deveria sempre tomar cuidado com aquilo que nos exige esforço né. Há esforço gratificante e há sacrifícios que talvez não sejam recompensadores.

    reply...

Postar um comentário