Top
  >  Emoções   >  FOME EMOCIONAL
A alimentação está diretamente ligada ao nosso estado emocional, isso explica porque muitas pessoas não alcançam bons resultados ao se submeterem a determinadas dietas e planos alimentares.

O mundo externo é reflexo daquilo que pensamos e sentimos, por isso nos identificamos com certas cores, pessoas, números, músicas e com alimentos, quando estes são semelhantes a nossa energia interna.

Todo alimento justifica uma personalidade ou um e é através dos nossos sentidos (visão, olfato, tato, paladar) que nos sentimos atraídos para ingerir determinados alimentos, conforme nossa identificação emocional.

Os alimentos possuem personalidade, assim como duas pessoas se atraem ou se repelem pela identificação ou oposição.

Portanto, podemos identificar através do que se come em exagero, o tipo de sofrimento de cada alma para tentar corrigir o desequilíbrio.

Quando retornamos a nossa paz interna e transformamos positivamente nossos pensamentos, palavras, sentimentos e ações, instantaneamente paramos de nos sentir atraídos por alimentos ou bebidas de sabor forte, picantes, muitos salgados e doces, gordurosos, e passamos a ver o alimento de forma amistosa e desapegada.

Quanto mais suaves e brandos forem os nossos pensamentos e comportamentos, mais leves serão nossos desejos para com determinados tipos de alimentos ou bebidas.

Familiarizando – se com este conhecimento, percebemos que ao buscar o equilíbrio emocional e racional por meio de alimentação saudável, terapias, meditação, autoconhecimento, e outros tratamentos alternativos de reequilíbrio energético do corpo e do psíquico, naturalmente a apetência se transformará e não existirá o sofrimento de ter de deixar de comer o que gosta.

Não se deve julgar os alimentos apenas como responsável pelas doenças ou pela saúde de alguém, pois nosso emocional seleciona, constantemente, através da vibração inconsciente dos semelhantes, o alimento adequado, identificado com o corpo emocional e não com o que o corpo físico necessita.

O significado psicológico dos alimentos:

Comidas apimentadas: pessoas que procuram intensidade e ação em suas vidas. Quando a pessoa está comendo em exagero comidas apimentadas significa que essa pessoa pode estar triste, entediada.

  • São pessoas ativas que gostam de viajar, aproveitar a vida, e quando não estão fazendo se sentem paradas. E o alimento picante entra como uma forma de compensação.

Temperos fortes: sal em excesso, vinagre e outros condimentos, temperamento teimoso, orgulhoso, que dificilmente aceita os problemas calmamente.

Alimentos gordurosos: pessoa hipersensível, que se magoa com facilidade, sente – se desprotegida, pode estar insegura para seguir seus ideais sozinha.

Carne vermelha: Quando uma pessoa come em demasia a carne vermelha está revelando a necessidade de fixar – se em suas atividades, assim como indica insegurança em buscar novos horizontes.

Laranja: Pessoas que buscam ter folego para suportar pressão emocional, desejando estabilidade material e psicológica, agrada – se muito desse fruto.

Carboidrato/ doces: Pessoas sobrecarregadas, que trabalham demais, listas de afazeres que não acabam, pessoas que estão exaustas, que não tem tempo de fazer o que gostam.

  • Sentem falta de alegria.

Comida salgada (sal em excesso): são aquelas pessoas que acrescentam mais sal a comida já salgada, são pessoas muito agitadas, angustiadas, ansiosas, é a forma do inconsciente mostrar a inquietação interior.

Alimentos crocantes: São pessoas que não se preocupam muito com o sabor do alimento, mas sim com o som produzido pela mastigação.

  • A crocância dos alimentos faz com essas pessoas sejam notadas, elas querem ser notadas, ocorre de forma inconsciente e pode ser por vários motivos, baixa auto estima, sentir – se abandonado, rejeitado, raiva reprimida, ou querem ser elogiados, muitas vezes se sentem “o centro das atenções” inconscientemente.

Alimentos suaves e macios: (arroz, massas, pães) Pessoas que apreciam estes alimentos desejam ser consoladas, protegidas, amadas, estes alimentos despertam a mesma sensação de um abraço, um conforto.

  • As pessoas optam por estes alimentos quando estão passando por situações difíceis e delicadas.

Chocolate: Pessoas que consomem alimentos doces, o chocolate permite o sentimento de bom senso, amor, de conforto, pessoas que querem se sentir amadas, tem compostos que agem na serotonina trazendo bem estar.

Sorvete: tem gordura cremosa, açúcar, e é congelado, como se congelasse todas as dores, remete a infância, faz sentir liberdade, despreocupação.

Queijo e derivados: remete a maternidade, necessidade de ser nutrido emocionalmente, pode estar ansiando por um colo uma figura forte e curativa na vida.

✒ Vetores by: Freepik.com

"Eu sentia que poderia ir muito além de um plano alimentar e suplementações e que isto poderia agregar muito na qualidade de vida dos meus pacientes, sendo que sempre tive muita empatia pela área terapêutica, especialmente pela medicina quântica e autoconhecimento. Desta forma criei a minha forma de atendimento individualizado priorizando o bem-estar do corpo e da alma. "

post a comment